lahiri

Jhumpa Lahiri – “A troca”

As palavras raramente ocorrem sozinhas; quase sempre, elas ocorrem na companhia de outras palavras. Por outro lado, as palavras não se juntam aleatoriamente em nenhuma linguagem: o modo como se combinam para transmitir um significado tem sempre restrições. As restrições que não admitem exceções, particularmente aquelas que se aplicam a classes de palavras e não a palavras individuais, costumam ser registradas como regras. Outras restrições … Continuar lendo Jhumpa Lahiri – “A troca”

chvrches1

De olhos abertos para o CHVRCHES: Entrevista com Lauren Mayberry

Podemos dizer, grosso modo, que a história do synth-pop começou lá no finalzinho da década de 1960 com o surgimento do quarteto alemão Kraftwerk. Qualquer artista eletrônico que viesse depois deles teria não só de escutá-los, mas de assumir algum tipo de influência. Dessa história iniciada e popularizada com “The Model” e consagrada pela crítica com “Music Non Stop”, destaco três grupos que se impuseram … Continuar lendo De olhos abertos para o CHVRCHES: Entrevista com Lauren Mayberry

lucy

Devoradores de sombras – Entrevista com Richard Lloyd Parry

Richard Lloyd Parry, escritor e jornalista inglês, foi correspondente em Tóquio do jornal The Independent e atualmente é um dos editores do jornal The Times. Alguns anos depois de chegar ao Japão, foi convocado para fazer a cobertura de um dos crimes mais comoventes e controversos do mundo: o assassinato da inglesa Lucie Blackman, de 21 anos, que havia se mudado para Tóquio em 2000 para trabalhar como hostess. Lucie ficou … Continuar lendo Devoradores de sombras – Entrevista com Richard Lloyd Parry

Lars Husum

O dinamarquês Lars Husum e seu amigo "Jesus Cristo"

Foi com uma alegria imensa que aceitei o convite, no início do ano, para traduzir “Meu amigo Jesus Cristo”, do dinamarquês Lars Husum. Sempre tive especial interesse pela cultura e literatura escandinava, e começara a aprender sueco pouco antes do convite. A tradução, autorizada pelo autor, seria feita a partir do inglês, tendo o dinamarquês como suporte. Acaba de sair pela Editora Gutemberg, do Grupo … Continuar lendo O dinamarquês Lars Husum e seu amigo "Jesus Cristo"

marina_02

O clímax e a maneira de ser de Marina Lima

Dia Internacional da Mulher, 2013. Chovia torrencialmente na cidade de São Paulo. Eu, um tanto nervoso, me acomodei numa cadeira do bistrô Le Vin, bairro Jardins, lugar escolhido por ela para nossa conversa. Pontual, Marina Lima chega sorridente, chapéu na cabeça, o qual dispensa logo na terceira pergunta. Sua voz inconfundível ressoa pelo ambiente e conquista as clientes da mesa próxima, que tomam um café … Continuar lendo O clímax e a maneira de ser de Marina Lima

zizek_slider

Sonhando perigosamente com Slavoj Žižek – Entrevista

Slavoj Žižek (1949) é um filósofo esloveno cujas influências principais são o pensamento de Karl Marx, Jacques Lacan e Hegel. Atua principalmente nos campos da teoria política, análise cultural e cinematográfica e teoria psicanalítica. Em 1990, foi candidato à presidência da Eslovênia. É professor da Universidade de Liubliana e professor convidado da Universidade de Vermont (EUA). O que dizer sobre dois dias de conversa com o incrível filósofo esloveno Slavoj Žižek? Tomei contato com ele ainda na época da minha graduação em psicologia. Foi amor à primeira lida! Algum tempo depois de ter lido alguns de seus textos publicados ainda em inglês, fui parar na Eslovênia atrás do que podia achar sobre ele — livros, referências, palavras — sem imaginar que, alguns anos adiante, ele me concederia uma entrevista. Por ocasião do lançamento de O ano em que sonhamos perigosamente (Boitempo Editorial, 2012) e da tradução de Menos que nada (no prelo, Boitempo), tivemos a chance e o prazer de conversar com aquele que, ainda hoje, é uma de minhas referencias bibliográficas. Continuar lendo Sonhando perigosamente com Slavoj Žižek – Entrevista

Outra Superfície

Outra Superfície: fotografias de Ana Claudia Lubitz

Das boas surpresas que as redes socias me trouxeram, posso dizer que 美撒郭 é uma das que mais me intriga. Por ser da China, por ter pouquíssimas informações sobre ele/ela na internet e pela dificuldade de contato, será um pouco difícil identificar quem é a figura por trás dessas fotos surpreendentes. Mas o que podemos notar é uma sensibilidade sem tamanho. Suas fotos têm enquadramento simples, luz incrível, cores suaves e texturas bem definidas que fazem todo o diferencial em seu trabalho. Continuar lendo Outra Superfície: fotografias de Ana Claudia Lubitz