stopmotion

Videoclipes e stop-motion

De certa forma, o cinema nasceu do stop motion. Os brinquedos ópticos do final do século XIX funcionavam com a sobreposição de imagens sequenciais que davam a sensação de movimento para o espectador. Depois, com o cinetoscópio de Thomas Edison e o cinematógrafo dos irmãos Lumière, o cinema foi se aperfeiçoando cada vez mais até chegar nos moldes atuais.

Hoje em dia, cada vez mais vemos artistas resgatando a técnica do stop motion, primordial no cinema, em suas obras, e muitos desses artistas promovem inovações incríveis. Confira abaixo alguns videoclipes que fizeram bom uso da técnica como complemento à mensagem musical:

Tame Impala – Feels like we only go backwards (2012)
Dirigido por Joe Pelling e Becky Sloan
Com tintas e massinhas de modelar bem coloridas, os diretores conseguiram fazer um bom equilíbrio ente música, cores e técnica.

Oren Lavie – Her morning elegance (2009)
Dirigido por Oren Lavie, Yuval e Merav Nathan
Nesse clipe, os diretores usaram uma cama como plano de fundo para os sonhos da moça a quem o título da música é dirigido. O vídeo fez tanto sucesso que foi plagiado sem constrangimentos em diversos vídeos, inclusive num comercial da Riachuelo.

Shugo Tokumaru – Katachi (2013)
Dirigido por Kijek/Adamski
Nesse belo clipe de Shugo Tomkumaru, o diretor usou o papel para criar a ideia de profundidade. Simplesmente sensacional.

Delta Heavy – Get by (2012)
Dirigido por Ian Robertson
Um freak show de brinquedos em uma cozinha. Filmado com técnica precisa de iluminação e fotografia, impressiona pela sincronia dos objetos imitando diferentes tipos de equalizadores.

Hudson – Against the grain (2011)
Dirigido por Jonathan Chong (Dropebear)
O vídeo é inteiro feito com lápis: uma técnica mais que precisa para deixar qualquer um com inveja da composição dos desenhos.

Band of Horses – Knock knock (2012)
Dirigido por Christopher Wilson
Esse clipe é quase uma experimentação com fotografias em primeira pessoa.

The Moons – Double Vision Love (2012)
Dirigido por Joseph Vincent Connor
O clipe é resultado de mais de 8250 pedaços de papel reciclado recortado pelas mãos de 14 pessoas durante 7 dias.

Ok Go – Last Leaf (2010)
Dirigido por OK Go, Nadeem Mazen e Ali Mohammad
O Ok Go sempre faz clipes bacanas e inovadores. Este foi todo feito com torradas: 250 pacotes com data de validade vencida.

Grizzly Bear – Ready, able (2009)
Dirigido por Allison Schulnik
A sincronia entre a música e imagem impressiona e os tons graves parecem moldar com precisão a massinha de modelar.

Rex The Dog – Bubblicious (2009)
Dirigido por Geoffroy De Crecy
A música eletrônica dá o tom para os bonecos recortados que vão ganhando vida no decorrer do vídeo. Interessante que a própria técnica e a feitura dos objetos são reveladas no vídeo.

Kraak & Smaak – Squeeze Me (2008)
Dirigido por Andre Maat e Superelectric
Apesar de não ser um stop motion, esse vídeo não poderia ficar fora da lista. Ele é todo feito com flipbooks!

O Conqueror – Fake Love (2013)
Dirigido por Christophe Thockler
A linda fotografia,o incrível trabalho de pós-produção e a música delicada dão a este stop motion uma sensibilidade impressionante.

Conhece mais algum videoclipe em stopmotion? Poste nos nossos comentários! :-)

Um comentário sobre “Videoclipes e stop-motion

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s